fbpx

O PODER DA INTELIGÊNCIA EMOCIONAL (QE) NA NOSSA VIDA.

A inteligência emocional é um dos fatores extremamente importante para termos sucesso na profissão, na relação interpessoal e para a automotivação, enfim para ser bem sucedido na vida. E a boa notícia é que, diferente da Inteligência Intelectual (QI), o QE pode ser desenvolvido.

Reagimos muitas vezes a determinadas situações, e depois nos arrependemos. Mesmo sabendo que tal atitude não seria ideal fazer, somos tomados por um impulso, uma força que nos tira a opção de escolha, e quando percebemos, já é tarde demais. Essa energia, a emoção, embora pareça imperceptível, está presente em todos os momentos de nossas vidas, construindo ou destruindo.

Que bom seria, se descobríssemos uma maneira eficaz e saudável de percebermos nossas emoções. Assim, não mais permitiríamos que elas conduzissem nossa vida de forma negativa e destrutiva, e com certeza seriamos mais felizes e bem sucedidos na vida. Por este motivos preparei este artigo para compartilhar com você.

A alfabetização emocional, o desenvolvimento da inteligência emocional gera autogestão, consciência social e maior probabilidade no alcance de objetivos e metas de vida pessoal e profissional. Esta inteligência está relacionada a elementos fundamentais no comportamento, que independem do intelecto. A inteligência emocional é flexível e pode ser aprendida e ampliada com a prática.

Algumas pessoas possuem o QE mais elevado que outras. Algumas características podem ser destacadas no comportamento daquelas que possuem alto ou baixo quociente emocional. Por exemplo, agressividade, autoritarismo, resistência a mudanças, perfeccionismo, impulsividade, podem ser indícios que denotam baixa inteligência emocional. Já a força de vontade, persuasão, facilidade em ouvir, consistência, carisma, organização, entusiasmo, decisão e paciência são algumas características que denotam um nível mais elevado de inteligência emocional. A inteligência emocional consiste na capacidade de perceber e interpretar as próprias emoções, bem como gerir e interpretar as emoções das pessoas que estão no nosso convívio social.

O que é Inteligência emocional?

É a capacidade de reconhecer e avaliar os seus próprios sentimentos/emoções e os dos outros, assim como a capacidade de lidar com eles. Essa habilidade de gerenciar emoções dentro de nós oferece benefícios tanto para a nossa vida pessoal quanto a profissional.

Segundo Daniel Goleman a Inteligência Emocional é categorizada em cinco habilidades, sendo as três primeiras intrapessoal e as duas últimas interpessoal:

  1. Autoconsciência/ Autoconhecimento Emocional – reconhecer as próprias emoções e sentimentos quando ocorrem;
  2. Autocontrole/Controle Emocional – lidar com os próprios sentimentos, adequando-os a cada situação vivida, gestão das emoções;
  3. Automotivação – dirigir a energia das emoções a serviço de um objetivo ou realização pessoal.
  4. Empatia/Reconhecimento de emoções em outras pessoas – reconhecer emoções no outro e empatia de sentimentos;
  5. Habilidade em relacionamentos interpessoais – interação com outros indivíduos utilizando competências sociais, a arte da convivência.

Saber reconhecer e gerenciar as emoções são fatores essenciais para a verdadeira realização na vida. E é claro que este gerenciamento também serve para quem está imerso no empreendedorismo. Quando o assunto é a sobrevivência e o crescimento de um negócio próprio, os conhecimentos técnicos não são suficientes para um empreendedor. É necessário saber lidar com pessoas e com as emoções. E é exatamente por conta disso que hoje em dia a inteligência emocional tornou-se um diferencial competitivo para quem está inserido no mercado de trabalho.

Pode parecer difícil sermos bons em todas essas habilidades, pois geralmente somos fortes em algumas, porém podemos melhorar em todas elas, focando o autoconhecimento. Para Goleman, a Inteligência Emocional pode ser treinada e aprimorada por meio de novos hábitos, formas de pensar, agir e reagir perante às adversidades e relacionamentos. Todos nós temos a capacidade de desenvolver e melhorar estas habilidades.

Algumas dicas para aumentar o nível de Inteligência Emocional

  1. Observe e analise seu próprio comportamento.
  2. Procure dominar suas emoções.
  3. Busque conhecer suas forças e suas fraquezas.
  4. Aprenda a trabalhar as emoções negativas.
  5. Aumente a sua autoconfiança.
  6. Aprenda a lidar com a pressão.
  7. Não tenha medo de se expressar.
  8. Desenvolva o sentimento de empatia.
  9. Coloque em prática a resiliência.
  10. Tenha curiosidade sobre pessoas que não conhece.
  11. Procure ser um líder inspirador e positivo.
  12. Preste atenção e tenha foco.
  13. Tenha clareza do por que sente tal emoção.
  14. Procure relacionar-se bem com a maioria das pessoas.
  15. Tenha clareza que suas atitudes impactam positiva e negativamente o meio onde vive.
  16. Busque desacelerar.
  17. Saiba ler as expressões faciais das pessoas.
  18. Depois de cair se levanta rapidamente.
  19. Procure levantar-se rapidamente depois de um “baque”.
  20. Confie em seu instinto, na sua intuição.
  21. Procure automotivar-se sem precisar ser estimulado externamente.
  22. Aprenda a dizer não.

De um modo geral, uma pessoa emocionalmente inteligente demonstra mais controle sobre suas atitudes e consegue manter-se em equilíbrio em momentos tensos, além de dar a volta por cima em situações adversas.

Uma das características mais importantes da inteligência emocional é a capacidade de tomar decisões de forma adequada, controlar impulsos e de adaptar-se a situações distintas, ser empático, inspirar e influenciar pessoas e gerir conflitos. As pessoas que não trabalham a inteligência emocional através do autoconhecimento apresentam dificuldade de relacionamento, de adaptação à mudanças, de lidar com situações de pressão e stress.

Podemos adotar algumas atitudes no nosso dia a dia, para desenvolvermos aspectos emocionais importantes:

  • Refletir sobre os valores de nossa vida. Saber o que é importante para nós contribui para o autoconhecimento e ajuda a prever as nossas reações.
  • Esperar um tempo antes de agir. Atrasar a nossa reação emocional pode evitar desgastes desnecessários causados por uma “explosão”.
  • Desenvolver a consciência de que os vínculos e os conflitos são passageiros aumentam a nossa resiliência, capacidade de lidar com pressão e tensão.
  • Desenvolver maior empatia pelo próximo. Diminuir as distrações ao interagir socialmente. É impossível perceber as emoções do outro se não nos conectarmos e ouvi-lo.
  • Focar mais no presente e diminuir a ansiedade e stress.
  • Evitar discussões em seus relacionamentos familiares e profissionais.
  • Ter maior clareza nos objetivos de vida.
  • Dar foco no que é importante na vida e aumentar a produtividade.
  • Ser mais positivo, ter maior autoestima e autoconfiança.

Em suma, para desenvolvermos a inteligência emocional é necessário primeiro desenvolver um olhar para nós mesmos, possuir o autoconhecimento dos nossos sentimentos, potencialidades e limitações, e assim poderemos nos relacionar de maneira saudável com o ambientes que nos cercam.

O que mais gostou?  Deixe seu comentário e compartilhe com pessoas que também possam gostar.

4 Comentários

  • Este texto explicou muitos coisas,me fez entender muitas coisas que sinto e que culpo alguém e não consigo me livra disso mas que essa leitura me fez entender que eu poço mais duque eu acho que posso.

    Resposta
    • Que bom Maria Francisca que o texto foi útil e te ajudou a entender melhor suas emoções e sua capacidade. Abraços!

      Resposta
  • O texto todo e muito interessante, porem as cinco estrela de hoje vai para os vinte e dois itens do aumentar a inteligencia emocional,

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *